Homeopatia para Animais Domésticos

A Homeopatia à primeira vista, parece um método terapêutico quase místico devido a seu conceito. A ideia básica da “cura pelos semelhantes” e de que os efeitos terapêuticos são provenientes da “vibração energética” de determinadas substâncias, são teorias a princípio de difícil aceitação. Porém, os resultados em alguns casos chegam a ser dramáticos e os riscos são praticamente inexistentes. Um software veterinário seguro é necessário para armazenar e administrar melhor exames e cadastros dos animais, nesse caso recomendamos o Nuvem Vet.

Devido a essas e outras características, fica fácil compreender porque tantas pessoas vêm buscando este método terapêutico não invasivo, suave, porém potente como opção de tratamento.

homeopatia animais

De onde vem a homeopatia

A palavra “Homeopatia” vem do grego – homoios -, que significa “semelhante” e – pathos – que significa “doença ou sofrimento”. O principal princípio da Homeopatia é o “similia similibus curentur” que significa “a cura pelos semelhantes” e visa o tratamento tanto de animais quanto de seres humanos. A idéia é a de que uma substância que causa um determinado sintoma em um paciente sadio, poderá tratar este mesmo sintoma em um paciente doente.

A Homeopatia está embasada em documentos de Hipócrates (470-400 A.C), o pai da medicina. Ele acreditava que a cura se dava pela utilização de um método terapêutico baseado em “contrários” e “similares”. Hipócrates escreveu : “a doença deve ser eliminada com remédios capazes de produzir sintomas semelhantes”.

O Dr. Samuel Hahnemann (1755-1843), médico renomado nascido em Meissen, Alemanha, grande estudioso, filósofo e cientista, além de dominar diversos idiomas, redescobriu as idéias de Hipócrates através do método de experimentação.

Hahnemann dizia (Wolff,H.G.,1983) que só um observador inexperiente poderia afirmar que: “Os animais não expressam os sintomas de suas doenças tão claramente quanto os homens. Eles não podem falar , mas as alterações no seu exterior, em seu comportamento e em suas funções vitais servem como uma linguagem perfeita”. Dizia o Mestre : “… Uma vez que o animal não conhece o fingimento e não exagera na manifestação da sua dor, não esconde seus sentimentos ou mente sobre os sintomas, como o homem costuma fazer quando há deturpação do seu comportamento. Fica evidente que o animal deixa explícito através dos sintomas um quadro real da sua doença e do seu estado interno….Os animais, em resumo, podem ser curados de uma maneira tão segura e perfeita pela Homeopatia como os seres humanos”.

Graças a este grande cientista que foi o Dr. Hahnemann, nós, Médicos Veterinários Homeopatas, podemos hoje contar com um Método terapêutico suave e eficaz, capaz de atingir e tratar QUALQUER SER VIVO.

Ginástica holística promove o fim das dores de coluna

Uma nova forma de atividade física está ganhando força nas academias. É a ginástica holística, que tem como um dos principais benefícios o fim das dores de coluna.

dor coluna

Essa prática foi criada na França pela médica e fisioterapeuta alemã Lily Ehrenfried, em meados do século XX. Ela visa melhorar as condições do aparelho locomotor e a integração psicossomática. A ginástica holística faz com que os praticantes tomem maior consciência do seu corpo, melhora a utilização deste nas atividades diárias e evita o cansaço e lesões.

Os seus exercícios promovem a melhora da postura, liberam as articulações e aumentam o tônus muscular. A respiração comanda os movimentos e o ritmo.

Uma aula de ginástica holística é bastante diferente de uma aula comum de localizada, por exemplo. Nela, o professor não demonstra o exercício. Ele apenas fala como deve ser realizado e o aluno o faz conforme entender. Segundo os preceitos da ginástica holística, essa é uma forma de respeitar os limites de cada aluno e de despertar circuitos nervosos que estejam inativos.

Os movimentos são feitos de forma lenta, ritmados pela respiração. Em uma aula de ginástica holística são usados alguns utensílios, como, por exemplo, bolas de vários tamanhos, bastões, sacos com sementes e blocos de madeira. Esse material tem a função de ajudar o aluno a relaxar e despertar sua sensibilidade.

A ginástica holística pode ser feita por qualquer pessoa. Mas aqueles que passam por algum tipo de problema na área de ortopedia e reumatologia são os mais beneficiados com sua prática. Ela também é ótima para aqueles que querem uma reeducação postural.

Comida para um bom sexo

Sabemos que uma sexualmente saudável é sinônimo de boa saúde física e mental, não só fortalece os músculos e ajuda a eliminar toxinas através do suor, mas libera uma quantidade significativa de endorfinas que causar uma grande sensação de euforia e relaxamento, entre muitos outros benefícios.

Existem muitos estímulos externos que podem contribuir para melhorar nossa vida sexual , dentre os quais estão múltiplos alimentos que revigoram e promovem o erotismo.

O potencial desses alimentos, conhecidos como afrodisíacos , reside na sua capacidade de estimular os sentidos, seja pela sua forma, cheiro, sabor, toque ou mesmo pelo seu som quando mastigados. Há também alimentos com propriedades nutricionais que contribuem para aumentar o desejo e o vigor sexual assim como suplementos como o estimulante xtrasize.

O aipo , por exemplo, contém feromonas, o gengibre é altamente energizante e promove a circulação de sangue, o chocolate contém feneletilamina e estimula o corpo, melancia como mostram os estudos realizados em Harvard, tem efeitos similares aos da famosa pílula azul, graças à citrulina e à arginina que desencadeiam a produção de óxido nítrico, aliviando os vasos sangüíneos.

Para incluir alimentos como estes em nossa dieta é suficiente para conhecer suas propriedades e incorporá-los em nossa dieta diária. A receita tradicional do gaspacho tão comum em nossa culinária é em si um afrodisíaco por sua cor vermelha apaixonada,mas também oferece vitaminas como C, que estimula as glândulas endócrinas , ou E, que beneficia os órgãos reprodutivos .

Com um bom conhecimento deste tipo de comida e os benefícios que proporcionam, podemos contribuir, facilmente e sem variar os nossos costumes, para a nossa vida sexual é o que você quer.

10 alimentos afrodisíacos

Se com um jantar íntimo o romantismo é assegurado, incluindo alguns destes alimentos afrodisíacos, o que garantiremos será uma longa noite de paixão. Todos eles podem ser encontrados facilmente, até mesmo alguns de nós já os têm em casa. Portanto, não será difícil transformar um agradável jantar depois em uma espiral de ferocidade e devassidão.

  1. Chocolate: Os astecas já se referiam ao chocolate como “a comida dos deuses”. Ele contém certas substâncias químicas que afetam os neurotransmissores no cérebro, além da teobromina – uma substância relacionada à cafeína. O segredo do sucesso deles está na combinação de ambos. E não se esqueça que o chocolate contém mais antioxidantes do que o próprio vinho tinto.
  2. Os figos: Os antigos egípcios e os deuses gregos frequentemente apareciam com colares de figos e passaram a considerar a figueira sagrada. Talvez seja porque um figo aberto emula os órgãos sexuais femininos, portanto, se um homem corta um figo e o come na frente de seu amante, ele se torna um ato poderosamente erótico. Ainda hoje, em algumas partes do mundo, costuma-se colocar uma cesta de figos na porta das moças casáveis ​​como sinal de interesse.
  3. Mel: Este produto deriva o conceito de ” Honeymoon “, um período projetado para os amantes. Os antigos egípcios tinham muitos medicamentos cujo componente básico era o mel, incluindo algumas curas para esterilidade e impotência. A geléia real também é afrodisíaca, pois serve como estimulante do corpo.
  4. O abacate: Os astecas batizaram o abacateiro como: “Ahuacuatl”, cuja tradução significa “a árvore dos testículos”, porque seus frutos estão pendurados em pares, que se assemelham à genitália masculina.
  5. Ostras: Qualquer tipo de frutos do mar é afrodisíaco, por isso é recorrente servi-los durante jantares íntimos. Mas as ostras em particular já foram documentadas como alimento afrodisíaco no século II aC pelos romanos. A razão mais óbvia é que esse molusco é muito nutritivo e tem alto teor de proteína.
  6. As trufas: Os gregos e os romanos consideravam a rara trufa como um afrodisíaco. Por causa de seu cheiro almiscarado, diz-se que estimula a pele e a torna mais sensível ao toque. Apesar de seu alto preço, vale a pena conferir essas propriedades.
  7. Baunilha: é o sabor mais requisitado no mundo no que foi sorvete. Mas uma cápsula de baunilha dentro de uma taça de champanhe aumenta efetivamente a luxúria do casal.
  8. Noz-moscada: as mulheres chinesas conheciam suas propriedades e sabiam como apreciá-las durante séculos. Pode ser adicionado a certos pratos, mas tome cuidado, pois em certas quantidades pode produzir um efeito alucinógeno.
  9. As bananas: Sua forma fálica nos faz intuir o motivo de sua consideração, mas a verdade é que o segredo afrodisíaco da banana reside no potássio e na vitamina B que ela contém. Ambos são necessários para a produção de hormônios sexuais.
  10. Framboesas e morangos: Os primeiros são mais adequados para as mulheres, pois contribuem para o relaxamento dos órgãos sexuais deste. E morangos, sendo ricos em vitamina C, estimulam diretamente as glândulas endócrinas e o sistema nervoso. O que eles têm em comum é que ambos são perfeitos para alimentar seu amante com sua mão.

Gostou dessas dicas? Conheça também remedio para endurecer o penis.

Benefícios da vitamina D3 para a saúde

A vitamina D é uma vitamina solúvel em gordura que é armazenado no tecido adiposo do corpo. A principal função desta vitamina é ajudar o organismo a absorver cálcio e fósforo. Às vezes, pode ser difícil se fartar com comida. É por isso que existem pessoas que tomam suplementos, que são enriquecidas de duas maneiras: D2 (ergocalciferol) e D3 (colecalciferol).

A vitamina D3 ajuda na regulação dos níveis de cálcio e fósforo no sangue. Além disso, tem um papel importante no desenvolvimento dos ossos e músculos. É por isso que doenças ósseas, como a osteoporose, são causadas por um déficit na presença de vitamina D3.

Todas as células do ser humano precisam do suporte da vitamina D3. Portanto, é muito importante que revisemos nossos níveis para determinar se temos o suficiente. Os dados são claros: mais de 80% da população adulta não tem a quantidade apropriada. E, para surpresa de todos, eles não são apenas pessoas que vivem na latitude norte ou que vivem em regiões onde a chuva é abundante. Isso afeta muito mais.

Por que essa vitamina é tão importante? Nós explicamos a você a seguir:

Efeitos benéficos da vitamina D3:

  • Colabora com a saúde do sistema cardiovascular.
  • Melhora o desempenho do organismo antes de testes atléticos.
  • Retarda o envelhecimento
  • Protege e contribui para o revestimento da pele.
  • Lute contra o declínio das habilidades auditivas.
  • Fortalece a saúde dos ossos e músculos.
  • Tem uma ação moduladora do tecido adiposo, o que implica um efeito positivo nas pessoas que sofrem de obesidade.
  • Previne a perda de melanina, um pigmento que favorece a saúde da pele.
  • Há aqueles que afirmam que regula o sono, no entanto, é um benefício que ainda não foi cientificamente provado completamente, por isso esta propriedade não é clara.

Benefícios da vitamina D para prevenir o câncer

Um estudo epidemiológico recente mostrou que um alto volume de vitamina D em nosso corpo pode reduzir o risco de câncer , por isso mostraremos alguns alimentos ricos em vitamina D que você deve incluir na tabela da dieta dos pontos.

Ele não é ainda claro que o mecanismo pelo qual  a vitamina D pode reduzir o risco de vários cancros , vai certamente ser devido aos efeitos positivos de ter níveis adequados de vitamina presente, tais como: melhoria da saúde do osso , a saúde e músculo nosso sistema de defesas entre outros.

Muitos adultos não têm vitamina D, especialmente nos meses de inverno, de modo que é importante para monitorar os níveis desta vitamina.

Alimentos ricos em vitamina D

Uma das principais maneiras de obter vitamina D é através da exposição ao sol , além de encher o nosso corpo com vitamina D , estes são alguns alimentos que devemos comer.

  • O salmão enlatado fornece 530 unidades de vitamina D para cada porção de 3 onças.
  • Conservas de atum oferece 360 ​​unidades de vitamina D em uma porção de 3 onças e você pode desfrutar de uma refeição importante no almoço ou jantar.
  • Pegue o suco de laranja e ele foi enriquecido com vitamina D, então você adicionará 100 unidades adicionais de vitamina D ao seu dia com cada xícara que você bebe.
  • Se você gosta de ovos mexidos, terá 20 a 26 unidades de vitamina D por ovo grande.

Estes são alguns dos alimentos com os quais você pode obter vitamina D e, assim, garantir o benefício de reduzir o risco de câncer durante toda a sua vida. Como você vê, é melhor prevenir, então compre alguns desses alimentos e evite problemas no futuro.

Estética genital e aumentando o prazer

Segundo pesquisa feita pela Universidade de São Paulo (USP) com 7.103 entrevistados, de 18 a 80 anos, em 18 cidades brasileiras, os dois maiores medos da mulher são não satisfazer seu parceiro na cama (45,4%) e não ter orgasmo (32,5%). A falta de desejo afeta três vezes mais as mulheres (8,2%) que os homens (2,1%), e 16,5% das mulheres entre 26 e 40 anos sentem dores durante a relação sexual.

A estética genital está intimamente ligada ao desejo, à excitação e ao orgasmo. Com a liberação dos tabus que cercavam a sexualidade feminina e o aumento da longevidade em uma sociedade que valoriza a juventude, algumas mulheres passaram a encarar a estética e o rejuvenescimento das áreas genitais como algo tão importante quanto as demais intervenções estéticas. Mais que seguir ícones de beleza da sociedade, a sexualidade humana determina novos padrões de sensualidade.

As novidades na área são a correção e o aumento sem cirurgia, de glúteos e mamas, o estreitamento do canal vaginal e a redução dos lábios vulvares. Esta correção pode promover satisfação pessoal, aumento da auto-estima e melhora do relacionamento íntimo.

Se glúteos bem proporcionados são importantes para aumentar a auto-estima, os problemas mais íntimos como cicatrizes na área genital, alargamento da vagina ou lábios vulvares irregulares – seja por formação congênita, por partos naturais sucessivos, por idade ou por outros fatores – podem provocar incômodos estéticos e inibir o relacionamento sexual.

Aumentar o órgão para satisfazer

aumentar o penis

Alguns pacientes possuem excesso de gordura na região pubiana, fazendo com que o tamanho do pênis pareça menor. Nesses casos, o procedimento indicado é a realização de uma lipoaspiração na região, realizada sob anestesia local, sem necessidade de internação hospitalar, com o paciente sendo liberado logo após o procedimento.

 

Há vários procedimentos que podem ser feitos para obter uma melhora no aspecto e no tamanho do pênis, a Faloplastia e o produto macho são algumas delas. O produto macho é a base de creme que deve ser aplicado em forma de massagem, o aumento deve aparecer depois de um mês de uso.

A Faloplastia demora em média 30 minutos quando o médico tem boa experiencia.  O corte é de aproximadamente de 3 centímetros na região pubiana verticalmente, é um procedimento cirúrgico ambulatorial e pode realizado no consultório médico.

O procedimento deixa uma pequena cicatriz que não fica aparente, pois ficará na região pubiana onde irão crescer pelos. Ou seja, o pênis ficará naturalmente maior, sem ser perceptível a outras pessoas que houve uma alteração no local.  Deve haver um resguardo de relação sexual, inclusive do ato da masturbação, por aproximadamente 15 dias.

Todo o processo de cicatrização tende a se retrair devido ao que os médicos chamam de cicatriz retrátil. Se não houver a complementação do tratamento pela fisioterapia – uso do aparelho extensor peniano, o pênis poderá ficar até menor do que era antes. O resultado final da Faloplastia só será alcançado após 2 a 8 meses da cirurgia com o uso de extensor peniano 8 horas por dia.

 

 

Cerca de um décimo da população adulta sofre de doença renal

O Dia Mundial do Rim, celebrado no dia 11 de março, serve para mostrar a importância da prevenção e do diagnóstico precoce da doença renal crônica, ressaltando o controle do diabetes, doença sistêmica que, quando não tratada de forma correta, traz repercussões negativas sobre os rins.

problemas nos rins

Dados da Sociedade Brasileira de Nefrologia indicam que 10% da população adulta sofre de doença renal, com 87 mil pessoas em diálise e 40 mil transplantados no país.

A hipertensão e o diabetes são os principais fatores de risco – 36% dos pacientes são hipertensos e 25% sofrem de diabetes.

O número de diabéticos dobrou em 4 anos no Brasil e existem cerca de 10 milhões de pessoas com diabetes no país, com 16% delas apresentando doença renal crônica.

Pesquisas apontam que 70% dos diabéticos não fazem controle da doença. Além disso, 35% da população adulta brasileira é hipertensa e apenas 6,5% desse contingente tem a pressão arterial controlada. E isso é preocupante, pois está intimamente associado ao crescimento do número de casos da doença renal crônica.

A doença renal crônica é um problema de saúde pública nacional, com taxa de mortalidade superior ao câncer de mama e ao de colo do útero.

É  importante que a população brasileira esteja atenta para os fatores de risco que podem comprometer a saúde dos rins.

Quando o rim, que é o  órgão responsável por uma série de funções, como a limpeza e filtragem do sangue, perde a função, o indivíduo é encaminhado à diálise ou até mesmo para transplante, conforme o caso.

A doença renal, quando detectada precocemente, pode ser curada ou ser controlada de forma muito mais eficaz. Por ser uma doença silenciosa, é necessário que a população se habitue a fazer, anualmente, o exame de dosagem de creatinina, para estimar a capacidade de filtragem dos rins, que pode determinar se há déficit de funcionamento desse órgão.

Para prevenir a doença, os fatores de risco – incluindo obesidade, diabetes e hipertensão – devem ser controlados, além de ser recomendada uma alimentação balanceada e a prática de atividades físicas.

Castanha de cotia é mais benéfica que as demais

A castanha de cotia, fruto encontrado na região Norte do país, possui as mesmas propriedades nutricionais de outros frutos mais conhecidos, como a castanha-do-pará e a noz comum, mas também apresenta maiores quantidades de certos nutrientes benéficos à saúde, como o ácido graxo ômega-9 e a vitamina E, que têm ação antioxidante.

bom para saude

A descoberta faz parte de uma pesquisa feita pela Universidade Estadual Paulista (Unesp) que, pela primeira vez, estudou as propriedades nutricionais dessa castanha, que ainda não é facilmente encontrada nas regiões Sul e Sudeste do país. A castanha de cotia também pode ser considerada um alimento funcional, tendo capacidade de prevenir doenças como as cardiovasculares, as neurodegenerativas e as inflamatórias — e passa a ser candidata a se tornar a nova queridinha das dietas antienvelhecimento.

A autora do estudo, Tainara Costa Singh, mestre em Engenharia e Ciência de Alimentos pela Unesp, explica que os benefícios da castanha de cotia somente podem ser obtidos se o alimento, ou o óleo extraído dele, forem ingeridos in natura. Quando torrada, forma comum de consumo na região Norte, a castanha perde propriedades nutricionais. Ainda segundo Singh, é comum, nos estados da região, o uso do óleo da castanha de cotia no preparo de alimentos, substituindo outros óleos, como o de girassol, por exemplo.

No entanto, como explica a autora, esse estudo não olhou para a possível presença de substância tóxica na castanha de cotia e nem para os efeitos adversos que podem ser apresentados pelo seu consumo excessivo. A castanha-do-pará, por exemplo, é considerada saudável, já que tem grande quantidade de selênio, mineral benéfico aos neurônios. Quando consumida em excesso, entretanto, ela pode ser tóxica e provocar sintomas como dores de cabeça.

Nesse estudo, foram analisadas e comparadas as propriedades nutricionais de seis alimentos diferentes: a castanha de cotia, a castanha-do-pará, a castanha-do-gargueia, a castanha-sapucaia, a noz comum e a noz pecan.

O que são melasmas e como tratar a pele

O melasma é uma doença de pigmentação comum na pele, que afeta mulheres (em 90% dos casos), principalmente as que possuem pele morena média e morena escura, as manchas podem aparecer em várias parte do corpo, principalmente no rosto. Como a contribuição do componente hormonal é muito grande neste distúrbio, as mulheres mais afetadas são as gestantes, bem como as mulheres em tratamento com contraceptivos orais ou tratamentos de reposição hormonal. Apenas 10% dos casos ocorrem em homens.

O excesso de pigmentação é restrito a áreas expostas ao sol e afeta principalmente o rosto, de forma simétrica (ambos os lados iguais) e em um dos três padrões abaixo:

Algumas vezes, os antebraços podem ser afetados.

tirando manchas do rosto

O melasma é uma doença crônica, que pode reaparecer. O melasma da gestação, provavelmente desencadeado pelas alterações hormonais que ocorrem nesse período, geralmente não surge até o segundo ou terceiro trimestre. Em alguns casos, este melasma gestacional pode desaparecer sem tratamento vários meses após o parto. Ainda assim, são necessários alguns meses para que a pigmentação normal da pele se restabeleça. Na maioria das mulheres, porém, as manchas persistem após o parto e, conseqüentemente, ocorre a procura pelo tratamento.

As mulheres que desenvolveram melasma durante a gravidez relataram graus variados de severidade, com diferentes gestações. As razões dessas variações são pouco compreendidas. Também não se sabe por que o melasma não desaparece da pele espontaneamente na maioria das gestantes afetadas.

Como a radiação UV (principalmente a solar) é o principal fator desencadeante em todos os casos de melasma, se não houver uma boa educação sobre cuidados com o sol as lesões não irão regredir.

Tratamentos tópicos para melasmas

Os tratamentos tópicos são fáceis de usar, causam poucos efeitos colaterais e são efetivos em relação ao custo. Usa-se uma ampla variedade de agentes, sendo muito freqüente o tratamento de combinação. O sucesso clínico do tratamento tópico pode exigir tempo e os pacientes devem ser advertidos contra expectativas elevadas a curto prazo. Os agentes tópicos são aplicados habitualmente uma ou duas vezes por dia e é comum que os primeiros resultados comecem a se manifestar apenas após 6 a 8 semanas de tratamento.

O tratamento deve ser mantido até que a hiperpigmentação tenha se resolvido completamente. Deve-se fazer uma advertência adicional contra o uso de tratamentos muito agressivos, para evitar o risco de efeitos duradouros. Isso é especialmente importante em uma doença como o melasma, que afeta principalmente a face – uma área delicada e muito visível.

  • Fórmula de Kligman: Proposta pela primeira vez em 1975, a fórmula de Kligman foi desenvolvida por Kligman e Willis. É uma combinação de hidroquinona a 5%, tretinoína a 0,1% e dexametasona a 0,1% e tem sido amplamente usada no tratamento do melasma. Na realidade, pode-se afirmar que essa fórmula é a base de todas as combinações de hidroquinona usadas no tratamento do melasma hoje.
  • Hidroquinona + Tretinoína + Acetonido de fluocinolona: é o primeiro tratamento de combinação derivado da fórmula de Kligman que é disponível comercialmente como um creme estável. Composto de hidroquinona a 4%, tretinoína a 0,05% e acetonido de fluocinolona a 0,01%. O produto deve ser aplicado nas áreas pigmentadas uma vez ao dia, preferencialmente à noite. Foi demonstrado que essa formulação obtém uma taxa de sucesso de 77% após apenas 8 semanas de tratamento no melasma moderado a grave. O produto é bem tolerado, mesmo no tratamento prolongado.
  • Hidroquinona: A hidroquinona é uma droga utilizada no tratamento do melasma há mais de 30 anos. Por essa razão, é o agente tópico mais investigado para o melasma e tem sido usado em concentrações variadas como monoterapia e em combinação com uma variedade de outros compostos. A hidroquinona é disponível em formulações de creme, loção e gel em concentrações de 2% a 5%, com e sem protetor solar. Concentrações de 3% a 4% podem produzir bons resultados no melasma. A resposta começa depois de 4 a 6 semanas, com resposta máxima em 4 a 6 meses. Geralmente, são necessárias 20 semanas de tratamento. Concentrações mais elevadas podem estar associadas com efeitos colaterais inaceitáveis e não apresentaram uma eficácia aumentada. A hidroquinona pode ser combinada com outros agentes, para melhorar os resultados.
  • Retinóides: O termo geral “retinóide” é usado para designar os compostos de vitamina A encontrados na natureza e análogos sintéticos do retinol. Desde os anos 60, os retinóides têm sido usados no tratamento de uma ampla gama de doenças dermatológicas, incluindo o melasma. O tratamento com retinóides tende a ser prolongado e exige pelo menos 6 meses, antes que os efeitos comecem a ser observados visualmente. Conseqüentemente, seu uso é combinado comumente com um ou mais agentes, para acelerar os efeitos benéficos

Fotodepilação ou depilação a laser?

Uma pele livre de pelos, bolinhas e lisa como a de um bebê. A promessa que antes era restrita aos tratamentos de depilação com laser, começou a se popularizar também na fotodepilação – conhecida popularmente como uma versão mais “light” do que o método tradicional.

depilacao laser

A diferença entre fotodepilação e a laser

A diferença básica entre os dois métodos está na luz utilizada no tratamento. Na depilação feita por meio do laser, a ponteira do equipamento é focada na região a ser tratada. A luz é direcionada à célula germinativa (responsável pelo crescimento do pelo) e destrói a sua função. Ou seja, para que o pelo possa voltar, o organismo da pessoa terá que desenvolver uma nova célula que a produza novamente.

Como o ciclo dessa renovação dura em média dez anos, o tratamento é vendido no mercado como “definitivo”, porém estando sujeito a manutenções depois de quatro anos, segundo Dr. Mônica Aribi, membro da Sociedade Brasileira do Laser.

– Nunca podemos taxar um tratamento como definitivo, porque sempre há o risco de volta. No entanto, o laser destrói a cápsula da célula germinativa, o que impede o seu crescimento. Os casos onde o paciente sofre de um transtorno hormonal, o que contribui para volta dos pelos, estão fora.

Segundo a médica, o laser é mais indicado para pacientes com pelos mais grossos e que desejam acabar de vez com o problema. Ela explica que a fotodepilação pode ser usada como uma “complemento” do tratamento já realizado, no caso de pacientes que fizeram o laser, mas o pelo voltou em pequena quantidade.

Outra situação é para as pessoas que desejam diminuir a quantidade ou os intervalos da depilação, como é o caso de Fernando Fukai, que sentiu uma redução de 50% nos pelos do rosto após quatro sessões de fotodepilação. Ele era adepto do gilete para fazer a barba e procurou o método para diminuir a quantidade de depilações no rosto.

– Na primeira sessão eu fiquei bastante impressionado. O procedimento foi muito rápido, uma coisa de dez minutos. Na segunda e na terceira sessão o resultado já foi mais sutil e só dá para perceber a diferença por foto. Ainda faço a barba, mas com mais facilidade e sem me machucar. Para mim, valeu a pena.

Mesmo para quem não pretende “exterminar” de vez os pelos, a manutenção é recomendada na fotodepilação a cada oito meses. O motivo é que a Luz Intensa Pulsada, usada no tratamento, apenas debilita o pelo, mas ele pode regenerar a célula germinativa e, como dito, voltar a crescer.

Segundo Roberta Almeida, gerente de marketing da rede D’ pil, a luz pulsada pega a formação do pelo, uma espécie de poro, o que torna obrigatória a depilação com gilete da região a ser tratada antes da primeira sessão. O paciente pode observar o resultado do tratamento pelo tempo que o pelo demora a crescer.

– O ideal é sempre ter passado uma lâmina antes do tratamento. Depois, é só um disparo na região e pronto. O que acontece é que em alguns casos a pele pode ficar ressecada, mas aí é só usar uma loção hidratante na região que melhora. Assim como o laser, só é permitida uma sessão por mês.

Para ajudar você a escolher o método mais eficaz, o R7 listou algumas semelhanças e diferenças entre a depilação a laser e a feita por luz pulsada. Agora é só você pesar os prós e contras de cada uma delas e escolher o melhor a que se encaixa no seu bolso e no espelho. Afinal, faltam somente três meses para o verão e a hora é agora – já que ambos recomendam férias do sol.

Cores, Som e movimento para saúde

A música é uma arte que está sempre presente na vida das pessoas. É praticamente impossível existir quem não goste. Ela traz diversos sentimentos e memórias para quem ouve e, por isso, é tão marcante.

Você já reparou que a música está sempre presente em academias? Seja via mp3 player de algum aluno, enquanto faz exercícios, no próprio sistema de som do local ou nas aulas, ela parece ser parte integrante das atividades físicas.

Segundo algumas pesquisas, ouvir música durante as atividades físicas é excelente. Ela incentiva o aluno, dita o ritmo dos exercícios e traz sensações de alegria e relaxamento. As pesquisas apontam que ela pode até melhorar o rendimento aeróbico e a resistência muscular.

Mesmo com tantos benefícios é preciso cuidado. Aqueles que trazem sua própria música e não abrem mão do seu mp3 player precisam ficar atentos ao volume. Na empolgação do exercício, você pode estar com o som muito alto, o que vai acabar prejudicando sua audição no futuro.

som e saude

A cura através das cores

As cores trazem alegria à nossa vida. Sem elas, tudo teria menos graça. O que seria da moda sem as cores? E que graça teriam as flores? Nenhuma. Mas além de embelezar o mundo, as cores também servem para curar.

Provavelmente você já ouviu falar na cromoterapia. As cores seriam usadas como remédio para alguns males. É uma terapia natural, que se utiliza das cores, por meio interno e externo, no tratamento de doenças. A cromoterapia ajuda a equilibrar a mente, as emoções, a energia vital e o organismo. Ela também desperta e desenvolve capacidades inerentes a todos nós, como atenção, intuição etc.

A cromoterapia, através dos meios externos, utiliza-se da projeção de luz colorida em áreas do corpo, cores de roupas, lâmpadas e cristais coloridos. Já a utilização dos meios internos tem a ver com cores de alimentos e a visualização da cor, por exemplo.

Na cromoterapia, cada cor tem um significado e serve para ajudar na cura de algum mal específico. Ela se baseia nas sete cores do espectro solar, ou seja, aquelas que aparecem no arco-íris (vermelho, laranja, amarelo, verde, azul, índigo e violeta).

As cores atuam através dos chacras, que são centros energéticos que estão localizados em certos pontos do nosso corpo. Os chacras são ligados a cores específicas e são associados às glândulas, aos órgãos internos e também às emoções.

Essa forma de terapia não deve ser levada como única forma de tratamento. Afinal, a cromoterapia é alternativa. Ela ajuda a curar e certamente pode trazer benefícios, mas nada substitui a medicina tradicional e um médico deve ser sempre consultado.